Dica Rápida: Incluir ou Remover Páginas de Arquivo PDF

Mais uma dica da série só lembro de postar quando preciso de novo!

Quem já teve que adicionar a folha de assinaturas no arquivo da monografia/dissertação/tese levanta a mão!!! Ou juntar ou separar arquivos PDF por qualquer motivo que seja!

Existem ferramentas que auxiliam esse processo de forma rápida e simples. A que geralmente recorro é o pdftk. Eu uso no Linux e vou colocar um exemplo usando linha de comando que resolve rapidamente o que preciso. Para quem utiliza windows aqui está o link para o instalador.

Para utilizar o pdftk faça download e instale. Para o Linux Ubuntu:

sudo apt-get install pdftk

Feito isso, basta mudar para a pasta onde estão os arquivos e utilizar os comandos do pdftk que precisar. Para o exemplo da folha de assinaturas em que precisamos inserir um arquivo de uma página com a folha de assinaturas chamado “folha.pdf” no arquivo com a tese “tese.pdf” supondo que queira inserir entre as páginas 3 e 4 da tese que contém 100 páginas no total, podemos utilizar:

pdftk A=tese.pdf B=folha.pdf cat A1-3 B1 A4-100 output arquivo_final.pdf

Esse comando monta um arquivo chamado “arquivo_final.pdf” que contem as duas primeiras páginas da tese + a folha de assinaturas + as páginas da tese a partir da quarta até o final. Modifique conforme a necessidade.

Existem outras formas interessantes de manipular arquivos com essa ferramenta. Se houver interesse posso colocar outros exemplos.

Espero que este post tenha sido útil.

Muito obrigada!

Referências:

Página do pdftk (em inglês)

Blog do Edivaldo

Dica: Modo de Segurança do Windows 8 em Notebooks Dell Inspiron

Nesse link tem um tutorial da Dell sobre como reiniciar seu computador a partir do Windows para acessar o menu que permite entrar no modo de segurança entre outras coisas.

Mas se teve algum problema, por exemplo, seu computador hibernou e agora o Windows não inicia de jeito nenhum e só mostra uma tela preta, outra forma de entrar no modo de segurança é pressionando a tecla F8 antes de carregar o Sistema Operacional.

Se tem duas opções de SO selecione o windows no menu, pressione enter e clique desesperadamente em F8. Já deve saber isso mas, se seu computador é um laptop Dell Inspiron (vou ficar devendo mais informações sobre outros modelos, mas pode deixar um comentário que respondo), deve pressionar:

SHIFT + F9 !!! Ao invés de shift+F8 como diz na página da Dell…

Espero que tenha ajudado!

 

Como criar gráficos com Gnuplot – que sejam bonitos!

Para quem já usa o Gnuplot e gostaria de tornar os gráficos mais profissionais bonitos mesmo! Segue abaixo os passos:

Antes de tudo, a ideia é criar um arquivo com as configurações que deseja usar dentro do gnuplot toda vez que ele for inicializado para não precisar repetir nada na próxima vez.

Se você usa SO Linux, basta colocar esse arquivo de configuração do Gnuplot chamado .gnuplot no seu diretorio /home. Para outros SOs crie um arquivo GNUPLOT.INI dentro do diretório que especificar na variável de ambiente GNUPLOT.

Tem um exemplo de arquivo aqui se quiser baixar ele gera esse tipo de resultado gráfico:

[gnuplot_final.gif]
Fonte: Guidolabs
Eu prefiro a legenda dentro do gráfico e as fontes e bordas na cor preta, então modifiquei algumas linhas do arquivo original:

Ao inves de especificar que a legenda fica do lado de fora do gráfico, apenas defini que quero que a legenda apareça com bordas:

# set key options

set key box

Na parte inicial das macros defini as cores das grids e dos textos como pretas:

grid_color = “black”
text_color = “black”

Meu gráficos estão bem mais interessantes agora! Vocês já usavam esse tipo de arquivo de configuração do Gnuplot? Tem outras dicas?

Deixem comentários!
Adicionado depois (17/02/2014)
Quando escrevi o post só tinha testado no Fedora mas, hoje testei no Windows e funcionou exatamente do jeito que está descrito no post. Bem simples mesmo. Criei uma variável de ambiente chamada GNUPLOT em “Sistema/Configurações Avançadas de Sistema… ” e coloquei o caminho onde salvei o mesmo arquivo (.gnuplot) só que com o nome de GNUPLOT.INI. Agora gero gráficos lindos com o Gnuplot independente do SO 🙂
Referência:

Guidolabs

Tutorial – Instalação StarUML Windows

StarUML

StarUML é um projeto de código aberto, disponível de forma gratuita para sistemas operacionais windows. É uma ferramenta de modelagem de software e também uma plataforma que concorre com softwares comerciais como o Rational Rose, por exemplo.


Segue abaixo os passos para instalação:

1. Acessar o site http://staruml.sourceforge.net/en/ clicar sobre link StarUML Download depois sobre (2005-12-30) StarUML 5.0 (Windows Installer) Stable 5.0 (21.67MB) optar por uma forma de instalação (escolha o executável: staruml-5.0-with-cm.exe). E salve o arquivo.

2. Dê dois cliques sobre o executável

 
Figure 7 (graphics7.png)

3. Clique em Next

 
Figure 8 (graphics8.png)

4. Marque a opção I accept the agrement e clique em Next

 
Figure 9 (graphics9.jpg)

5. Escolha o diretório de instalação ou deixe o sugerido e clique em Next

 
Figure 10 (graphics10.jpg)

6. Dê o nome da pasta (ou deixe o sugerido) de atalho que será criada no menu do Windows e clique em Next.

 
Figure 11 (graphics11.png)

7. Caso queira criar um atalho do programa na área de trabalho deixe marcado a caixa Create a Desktop icon e clique em Next

 
Figure 12 (graphics12.png)

8. Clique em Install e aguarde a instalação do programa.

 
Figure 13 (graphics13.png)

Depois disso o programa será instalado e estará disponível em Inicial >> Todos os Programas >> StarUML (ou o nome que foi colocado na instalação) .


Referências:

Créditos das Figuras para o João Carlos Ferreira dos Santos (Criando diagramas UML com o StarUML).

StarUML – The open source UML/MDA platform (Link).

Dropbox – instalação e utilização no Windows

Gostaria de deixar uma dica para quem não conhece ou gostaria de conhecer melhor uma possibilidade de armazenamento na nuvem.

Dropbox

Como usar o Dropbox (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Aproveitando o post de Ramon Cardoso para o TechTudo seguem as dicas dele sobre o Dropbox:

Obs: As dicas de instalação contidas no post abaixo se referem ao Windows. Para quem utiliza o Linux e tem dúvidas quanto à instalação do Dropbox sugiro o tutorial: Instalar Dropbox Fedora (integrado ao Nautilus) 

“O Dropbox é uma excelente alternativa para quem gosta de ter os seus documentos sempre à mão. Com ele, você pode hospedar os seus arquivos na “nuvem” e acessá-los de qualquer lugar e com qualquer dispositivo. Uma verdadeira mão na roda.

Nesta dica, criamos um guia sobre Como usar o Dropbox. Acompanhe os passos abaixo e descubra uma boa alternativa para armazenar e compartilhar arquivos com seus amigos.

Criando uma conta e instalando o Dropbox

Passo 1. O primeiro passo para usar o Dropbox é criar uma conta no site oficial do programa. Para isso, acesse a página de cadastro e preencha os campos com os seus dados, marque a caixa “I agree” e clique em “Create account”.

Criando uma conta Dropbox
Criando uma conta Dropbox (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 2. Agora que você já tem uma conta, faça o Download do Dropbox e instale-o em seu computador. Obs.: é importante que você tenha privilégios de administrador.

Passo 3. Ao executar o programa, marque a opção “I already have a Dropbox account” e clique em “Next”. Na tela seguinte, forneça os dados da conta que você acabou de criar e clique novamente em “Next”.

Instalando o Dropbox
Instalando o Dropbox (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 4. Escolha a opção de 2 GB (gratuita) e clique em “Next”. Deixe a opção “Typical” marcada e clique em “Install” para iniciar a instalação.

Escolhendo o teipo de conta e instalalção
Escolhendo o tipo de conta e instalação (Foto: Reproducão/Ramon Cardoso)

Passo 5. Caso uma nova janela seja aberta, clique em “Skip tour” para pular a explicação e, depois, em “Finish” para concluir o processo.

Armazenando e compartilhando arquivos

Passo 6. Para abrir a pasta do Dropbox no seu computador, clique no ícone do programa, próximo ao relógio da barra de tarefas.

Abrindo a pasta do Dropbox no seu computador
Abrindo a pasta do Dropbox no seu computador (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 7. Para adicionar novos arquivos à pasta, basta utilizar os comandos “Ctrl+C” e “Ctrl+V”, ou arrastar os arquivos para dentro da pasta. Todos os arquivos serão automaticamente sincronizados com um upload automático e salvos também na sua pasta on-line.

Sincronização automática - Pasta do Dropbox no computador e no site com o mesmo conteúdoSincronização automática – Pasta do Dropbox no computador e no site, mesmo conteúdo (Foto: Reprodução)

Passo 8. Para compartilhar arquivos do seu computador, basta copiá-los para a pasta “Public”, dentro da sua pasta do Dropbox. Em seguida, é só clicar sobre eles com o botão direito do mouse e, em “Dropbox”, selecionar a opção “Copy public link”. Depois é só colar o link em algum lugar e enviar para quem você quiser.

Copiando o link de compartilhamento de um arquivoCopiando o link de compartilhamento de um arquivo (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 9. Caso você esteja em uma máquina que não tem o Dropbox instalado, você pode acessar o site do Dropbox e fazer upload de arquivos para a sua pasta on-line. Esses arquivos estarão disponíveis para download em qualquer lugar e também serão sincronizados com as pastas de outros dispositivos com o Dropbox instalado.

Adicionando arquivos à pasta on-lineAdicionando arquivos à pasta on-line (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 10. Da mesma forma que no computador, você também pode criar um link público de um arquivo a partir da sua pasta on-line, no site do Dropbox. Para isso, basta marcar um arquivo, clicar em “More” e escolher a opção “Copy public link”, como na imagem abaixo.

Criando um link de compartilhamento para um arquivo on-lineCriando um link de compartilhamento para um arquivo on-line (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Criando pastas compartilhadas

Outro recurso interessante é a opção de criar pastas compartilhadas. Dessa forma, as pessoas que você convidar também poderão ter acesso ao conteúdo da sua pasta e poderão adicionar arquivos a ela.

Passo 11. Para compartilhar uma pasta no seu computador, basta clicar com o botão direito do mouse sobre ela, selecionar a opção Dropbox e escolher a opção “Share this folder…”.

Compartilhando uma pasta do computador com outras pessoasCompartilhando uma pasta do computador com outras pessoas (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 12. No site, marque a pasta que deseja compartilhar, clique na opção “More” e selecione a opção “Invite to folder”.

Compartilhando uma pasta on-lineCompartilhando uma pasta on-line (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 13. Em seguida, digite os nomes ou endereços de e-mail das pessoas com as quais você quer compartilhar a pasta e clique em “Share folder”.

Selecionando as pessoas que terão acesso à pasta compartilhada
Selecionando as pessoas que terão acesso à pasta compartilhada (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Acessando o Dropbox e baixando arquivos de outros locais

Você pode acessar a sua pasta do Dropbox de qualquer lugar que tenha internet, seja por um navegador, com a sua pasta online, ou em outro computador ou celular que tenha o Dropbox instalado.

Passo 14. Para baixar os arquivos em outro computador, acesse o site do Dropbox e faça login em sua conta. Depois, marque o arquivo que deseja baixar, clique em “More” e selecione a opção “Download File”.

Baixando um arquivo do DropboxBaixando um arquivo do Dropbox (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 15. Caso esteja em outro computador com o Dropbox instalado, basta abrir o programa e informar o seu e-mail e senha para ter acesso aos arquivos armazenados em sua pasta do Dropbox.

Passo 16Para poder acessar os seus arquivos também do seu celular, acesse a página do Dropbox e baixe o aplicativo para o seu sistema: Android, iOS (iPad e iPhone), e BlackBerry.

Dropbox para celularDropbox para celular (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Agora você não precisa mais se preocupar em perder os seus arquivos ou esquecer-se de levá-los para algum lugar. Graças ao Dropbox, eles estarão sempre disponíveis sempre que você precisar.”

(postagem original)

Bibliotecas em C

Assunto que gera dúvidas para quem está aprendendo a programar em qualquer linguagem é o uso das Bibliotecas. Neste post pretendo dar uma ideia do que são e como usar as principais bibliotecas da linguagem de programação C.

Biblioteca
Biblioteca Nacional Austríaca (fonte)

O que são Bibliotecas?

Para exibir uma mensagem na tela, ao invés de programar uma função inteira que faça isso para mim, basta que eu importe um arquivo que já contém essa função pronta -> A Biblioteca!

Uma Biblioteca é um arquivo com determinadas funções programadas que está separada em duas partes: um arquivo de cabeçalho e um arquivo com o código-fonte.

  • O arquivo de cabeçalho: é indicado pela extensão .h (vem de header que é cabeçalho em inglês) e contém informações sobre a biblioteca que os programas que a utilizam precisam saber. Em geral, o arquivo de cabeçalho contém constantes e tipos, junto com protótipos de funções disponíveis na biblioteca.
  • O arquivo de código-fonte: possui a implementação das funções propriamente ditas. É como um código normal em C sem o programa principal. Apresenta apenas um conjunto de funções programadas que serão aproveitadas em outros programas.

Como funcionam?

Voltando ao exemplo anterior, para que eu consiga mostrar uma mensagem na tela basta que eu importe uma biblioteca de I/O (Input/Output ou Entrada/saída) para utilizar a função de impressão que a biblioteca oferece.

Programando em C, a biblioteca que oferece essas funções é a stdio.h (acrônimo de standard input/output -> padrão de entrada/saída) que contém entre outras funções, a função de impressão printf. Para importar essa biblioteca, basta escrever no início do programa em C o seguinte:

#include <stdio.h>

Quando for compilar, o compilador vai buscar nessa biblioteca a função para saber como utilizá-la. Obs: se precisar incluir outra(s) biblioteca(s), basta escrever outro(s) comando(s) #include, um abaixo do outro no início do programa em C, por exemplo:

#include <biblioteca_1>

#include <biblioteca_2>

#include <biblioteca_3>

E no local que quero imprimir o texto na tela no meu programa, uso diretamente a função printf seguindo as regras de sintaxe:

printf(“expressao”, argumentos);

Com isso, todas as vezes que precisar imprimir algo na tela basta chamar a função modificando apenas os parâmetros. As bibliotecas surgem dessa necessidade de utilização contínua do mesmo padrão de operações. Ao invés de repetir várias vezes o mesmo conjunto de instruções para realizar ações muito parecidas em locais diferentes, posso usar uma mesma função pronta apenas passando parâmetros diferentes para ela. Usamos aqui o conceito de reutilização de código!


Obs:
O caracter “#” (em inglês: sharp e em português: cerquilha ou tralha) no inicio da linha indica que haverá um pré-processamento (o que é isso? quer dizer que mesmo antes de compilar o programa, os parâmetros necessários para ser criado o arquivo executável serão conhecidos). Lembrando que a inclusão de bibliotecas que iremos utilizar no nosso código deve ser feita sempre no início da programação!


Quais são as principais?

Existem várias bibliotecas e, aquelas que oferecem funções básicas (como por exemplo a stdio) são muito mais utilizadas do que outras. Segue uma pequena (pequena mesmo!) lista de bibliotecas com suas principais funções:

stdlib.h

  • Esta biblioteca é a responsável por conversões de números, alocação na memória e outras tarefas! Com ela podemos: converter um char em um double, converte um char para long, criar um número randômico (aleatório), alocar na memoria, realocar na memória, desalocar da memória, execução de comandos do sistema operacional Respectivamente, as funções citadas são:atof, atol, rand, malloc, realloc, free e system…Também não posso deixar de citar que ela retorna o valor absoluto de um número inteiro usando abs.

stdio.h

  • Esta biblioteca é a responsável pela entrada e saída padrão. Nela, encontramos funções para leitura do teclado, escrita formatada ou não na tela e operações com arquivos. Algumas funções dessas bibliotecas:fprintf, printf, fscanf, scanf, getchar, putc, getc, fopen, fclose…

math.h

  • Esta biblioteca declara funções matemáticas que podem servir para: achar a raiz quadrada, achar o seno, co-seno, tangente, logaritmo na base 10. As funções respectivas são:sqrt, sin, cos, tan, log10.Fora isso, um outro uso para declaração desta biblioteca é a possibilidade de arredondar um número! Para isso usamos a função que retorna o valor absoluto: fabs.

Como disse, essas são apenas algumas bibliotecas e suas funções. Agora que sabemos como utilizar basta pesquisar quais possuem as funções que precisamos e qual a sintaxe para chamar a função!

Outras Fontes:

Principais Bibliotecas em C: Celso Masotti, INED

Biblioteca stdio.h: Quaddro

Criação de bibliotecas: HowStuffWorks

Excelente referência sobre C/C++ online: http://www.cplusplus.com (em inglês)

Para tirar dúvidas ou dar sugestões deixem comentários!

Tutorial de Instalação do CodeBlocks no Windows

CodeBlocks é a IDE utilizada no curso de Laboratório de Programação I.
Para instalação no Windows, abra a página http://www.codeblocks.org/ e clique em Downloads.
Dentre as opções escolha a que tiver Binarie Release. Abrirá uma página como essa:
codeblocks
Role a tela para baixo e escolha uma versão para Windows que contenha “…mingw_setup.exe” no nome, o que indica que instalará também o pacote MingW (que é uma versão para Windows da coleção de compiladores GNU – GCC). Instale essa versão para poder compilar os programas. Existem duas opções de Download (Berlios ou SourceForge) e tanto faz a escolha.
codeblocks
Ao concluir o download, abra o arquivo e clique em “Next”.
codeblocks
Na tela seguinte clique em “I Agree” para concordar com os termos.
codeblocks
Continue clicando em “Next”.
codeblocks
Clique em “Install”.
codeblocks
Aparecerá uma mensagem perguntando se gostaria de rodar o CodeBlocks. Clique em “Sim”.
codeblocks
Certifique-se de que o compilador foi detectado e clique em “Ok”.
codeblocks
O CodeBlocks abrirá e, se mostrar uma dica pode clicar em “Close” para fechar.
codeblocks

A partir desse momento poderá utilizar o CodeBlocks para criar seus projetos em C!

Caso tenham dúvidas, mais links sobre instalação e configuração do CodeBlocks no Windows:
Para quem está familiarizado com o Linux segue um link para instalaçao de CodeBlocks no Ubuntu:
Ou deixe um comentário abaixo.